Navigation



  O Mercado de Latinhas

As primeiras latinhas foram produzidas na América do Sul na década de 80 e, de lá para cá, a indústria promoveu uma série de melhorias no produto através do uso de alta tecnologia. Para se ter uma idéia do avanço, hoje as latas de alumínio são 32% mais leves que as produzidas há 25 anos; uma lata vazia pesa atualmente apenas 13,5 gramas.

A indústria de latinhas cresce, ano a ano, no mundo inteiro. E na América do Sul o potencial de crescimento é ainda maior: basta lembrar que na América do Norte o consumo per capita de latas de alumínio é de 157 unidades/ano; na América do Sul, o consumo per capita é de 35 unidades/ano.

A excelência na fabricação de latas e tampas de alumínio requer muita precisão, uma equipe de funcionários altamente capacitada e conceitos e técnicas de “Supply Chain”, que envolvem tecnologias de ponta. Com um sistema de Logística Integrada, a Rexam oferece a todos os seus clientes produtos “world class”, na quantidade exata e no momento certo.

Reciclabilidade e Responsabilidade Ambiental

A lata de alumínio é um produto limpo, leve e resistente, que gela a bebida mais rapidamente e mantém o seu sabor inalterado. Como se trata de um produto "one-way", o revendedor não precisa fazer estoques de latas vazias.

Além disso, o alumínio é um metal nobre, de alto valor residual. E aí se revela a principal vantagem das latinhas de alumínio: a sua alta reciclabilidade. Como se sabe, a reciclabilidade é um dos atributos mais importantes do alumínio. Qualquer produto produzido com este metal, como as latinhas, pode ser reciclado infinitas vezes, sem perder suas qualidades no processo de reaproveitamento. Em 2005, o Brasil se tornou tetracampeão mundial de reciclagem de latas de alumínio.

Como a matéria-prima para a produção de latas de alumínio vem da natureza, existe uma grande preocupação por parte da Rexam em preservá-la. Diversas ações voltadas para a conservação do meio ambiente são desenvolvidas todos os anos pelas Fábricas da Empresa espalhadas no mundo inteiro.


 
Rexam